terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Imagens de Época: Ford V8

Comprei essa imagem por causa da potente Ford F100 V8 com seu (possível) dono parado ao seu lado. A pick-up era famosa por ser mais rápida que os carros passeio de época e tinha como rival a Chevrolet Brasil. Segundo informações no verso da imagem podemos saber que foi tirada em Passo Fundo no distante ano de 1960.

Referência:
Ford F-100. Disponível em:

domingo, 5 de dezembro de 2010

Quer luxo?


Mais uma propaganda maravilhosa do encantador Fusca, a VW realmente soube usar o marketing ao seu favor.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Imagens de Época: Estacionamento da UFRGS III

Mais uma dos estacionamentos da UFRGS de algum ano ainda não reconhecido. Tem um Landau ali em baixo, click na imagem para ver em tamanho maior.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Imagens de Época: Estacionamento da UFRGS II

A fotografia abaixo foi tirada no mesmo dia que a do outro post.

Mini Morris 1275 GT

Hoje caminhando pela Rua da República em Porto Alegre avistei um pequeno e estranho carro. Quando olhei achei que era uma bizarra modificação de um Fiat 147 com grade frontal do primeiro modelo de Passat. Só quando vi a marca que descobrir que tratava-se de um britânico Mini Morris. O veículo é realmente muito diminuto e bem baixo. Pesquisando na internet descobri que esta é a versão "esportiva" com motor de 1275 cc ( os Minis originais eram com 850 e 998 cc) sendo que ele é da geração dos chamados Clubman (design mai quadrado). A única dúvida que fico é com relação a entrada de ar no capô, procurei por imagens do modelo e nenhuma aparecia tal item. 


Referência:

Mini. Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Mini

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Imagens de Época: Estacionamento da UFRGS

Vou trazer uma sequencia de fotos que achei no arquivo da universidade onde aparecem algumas preciosidades estacionadas. Nenhuma foto tem data específica e constituem o arquivo do SPH/UFRGS. Click na imagem para aumentá-la.

Encontrem aí em baixo dois Chargers.



domingo, 14 de novembro de 2010

As Meias do Diretor

O Karmann-Ghia fabricado no Brasil tinha um espectro de cores provindas de uma patente da empresa alemã Duco. Na linha de 1964 começaram a ocorrer problemas nos tons azul e vermlho tornando-os chamativos demais. O então presidente da Volks, Bobby Schultz-Wenk, reuniu-se com os reponsáveis para tentar solucionar o problema. Ele tinha imensas dificuldades em se comunicar em português e acabou mostrando para os fucionários suas meias da cor azul apontando como sendo o tom correto para o veículo. O fato acabou saindo da fábrica e como afirma Sandler (2010): "espalhou-se a história de que a cor do carro tinha que ser igual à da meia do presidente, como se as decisões dependessem apenas de um capricho autoritário".

Imagem retirada de: http://www.caradvice.com.au/wp-content/uploads/2009/06/karmann_ghia_file_836.jpg


Referência:

SANDLER, Paulo Cesar. Karmann-Ghia: o desing que virou história. São Paulo: Alaúde, 2010. p. 113.

sábado, 13 de novembro de 2010

O Cornowagen

A Volkswagen nos primórdios do Fusca lançou uma versão do veículo com teto solar. A cultura rasteira do povo brasileiro acabou apelidando ele de "Cornowagen" e obviamente transformou-se em um fracasso comercial por aqui. Sempre bom lembrar que no Brasil os carros deste estilo e com capô de lona nunca foram sucessos, até muitos indicam que este fato seja justificado pela insegurança das cidades.



Imagem retirada de : http://bligdogomes.blig.ig.com.br/imagens/cornowagen.jpg

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O Protótipo do Gol BX


Imagem retirada da capa da edição de agosto 1971 da Revista Quatro Rodas. Disponível em: http://quatrorodas.abril.com.br/acervodigital/


A edição de agosto de 1971 da Revista Quatro Rodas apresentava em sua capa o possível sucessor do antológico Fusca. Conforme matéria do mesmo número a Volkswagen planejava uma remodelação de sua linha já que novas medidas de segurança em automóveis seriam adotadas nos EUA até 1976, fazendo com que o antigo veículo ficasse fora dos futuros padrões. A plataforma de motor refrigerada a ar já se mostrava defasada, forçando a mudança na tradicional e rústica mecânica da fábrica alemã.

A matéria apresenta o “sucessor do Fusca” tendo motor 1300 refrigerado com água, ficaria alojado na altura entre o eixo e o banco traseiro. O local era apontado pela própria VW como de difícil acesso para manutenção, fazendo com que tivesse uma mecânica muito confiável para evitar todo o trabalho extra de manutenção. Continuaria usando a tendência proposta pela Variant, aonde existiriam bagageiros na frente e na traseira do veículo.

O carro que estava na capa desta edição seria lançado apenas em 1980: o Gol BX. Notem como a questão de volumes é a mesma do futuro compacto, muitos podem olhar a traseira e a frente e enxergar detalhes do também futuro Passat, está certo, o desenho de sinaleiras foi usado na respectiva linha, só que toda a concepção de carro serviu de base para o Gol. E a VW acertou, já que este foi o exato substituto do velho Fusca...

Referência:

JANTKE, Manfred. O novo Fusca e os alemães para 73. Quatro Rodas, Ed. 133, ago. 1971, p. 32-39. Disponível em: http://quatrorodas.abril.com.br/acervodigital/

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Skoda Octavia

Aqui perto de casa encherguei esses dias a ponta de um velho clássico aparecendo em uma garagem. Voltei ao local outro dia e falei com o pessoal que estava no referido local removendo alguns entulhos. Eram funcionários de um posto que ficava ao lado do estacionamento, perguntei se poderia olhar o estranho automóvel e eles deixaram. Lá descobri esta pérola: Skoda Octavia, um carro de origem checa muito simpático (demorei para saber daonde sairia tal automóvel).

Seu proprietário é um jovem funcionário do posto que contou que o adquiriu de seu velho dono, não sabe como este carrinho foi parar por aqui. Abriu a tampa do motor e contou que sua mecânica original ainda funcionava, perguntei sobre o ano, ele olhou a plaqueta na carroceria e disse: 1959. Conforme fonte da internet (Best Cars Web Sites) o modelo Octavia nascia exatamente no ano de 1959, tornando este um achado e tanto! Ao final comentou que o Skoda poderia ser vendido por R$ 8.000,00. Ah se eu tivesse mais dinheiro! (hehe). Acabei fotografando e gravando um vídeo, este veículo originalmente era para ser um post do Blog Carros Inúteis, mas tendo em vista a história por trás dele também postei por aqui. Segue o link com os comentários que os pessoal fez nele: http://carrosinuteis.wordpress.com/2010/10/24/skoda-1959/

Vídeo:



Referência:


Por trás da cortina de ferro. Disponível em: http://www2.uol.com.br/bestcars/ph2/196b.htm

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Guia do Caçador de Carros Inúteis

Capturar carros esquecidos no tempo é uma atividade que adoro desenvolver, na verdade já gostava de observá-los desde que era criança. Achei na Internet, através de sites e blogs, uma interligação com outras pessoas que partilham do mesmo “esporte”. Com isso acabei pegando celular e a câmera e saí fotografando todos os que achava perto da minha casa ou da faculdade. Algumas enviei para o blog Carros Inúteis com a felicidade de serem publicadas. Penso que nas cidades existem centenas de automóveis perdidos por várias ruelas, garagens e esquinas e proponho neste post um pequeno guia de como localizá-los e fotografá-los.

 

Como identificar um carro abandonado:

 

Placa amarela

O mais clássico exemplo de um veículo inutilizado é o fato dele portar placas antigas que ainda possuíam o fundo amarelo. Estes por si só também caracterizam-se como de grande “prestígio” no meio do pessoal que caça os abandonados. Este estilo de placa foi trocado em 1990, mas em alguns estados demoraram a mudar fazendo com que saíssem de circulação apenas em 1999.

 

Ferrugem

Outro caso clássico de veículos abandonados. Devo apontar que diversos carros em condições precárias de lataria continuam rodando pelas ruas brasileiras, por isso temos que ter cuidado para não catalogar alguns desses moribundos que ainda se arrastam por aí. Normalmente os inúteis possuem grandes extensões de partes podres incluído os aros das rodas.

 

Manchas na lataria

As chamadas “queimaduras” na lataria são causadas pelos dias passados debaixo do Sol.

 

Poeira

Camadas de poeira nos vidros e até em algumas superfícies da lataria do veículo. Também devemos averiguar se a parte frontal não está com marcas do uso de limpador do vidro, pois pode tratar-se apenas de um carro sujo.

 

Pneus murchos

Com o tempo os pneus vão perdendo o ar até ficarem completamente murchos, também existe o caso do dono esvaziá-los para evitar roubos ou o possíveis falhas no freio de estacionamento.

 

Rodas viradas para a calçada

Muitos carros são abandonados com o dono tendo a “gentileza” de deixá-los com as rodas viradas para o cordão da calçada. Isto nada mais é do que uma simples segurança caso o veículo solte-se do freio de estacionamento e ande até atingir algum obstáculo.



O Fuscão aí do lado é mais um que o dono teve o "cuidado" de deixar virado para o lado da calçada.

 

Grama ou quebra pedra embaixo do veículo

Conforme o tempo que um veículo fica abandonado no mesmo local começam a nascer gramas.



Corcel com quebra pedra logo abaixo.

 

Objetos sobre o veículo

Diversos objetos e até mesmo lixo são colocados sobre o veículo abandonado já apontando sua condição. Pensem, se ele ainda fosse usado porque estaria cheio de porcarias?

 

Falta de retrovisores

Uns dos primeiros itens a serem roubados dos carros abandonados são os retrovisores. Também pode ter acontecido dele ter sido perdido em alguma colisão com outro veículo que passava na rua. Alguns sobreviventes ainda tem a peça mantida virada  totalmente para dentro da porta.



Essa Chevrolet A-10 já teve um retrovisor arrancado e bem do lado que está na calçada (possível roubo).

 

Pichações e depredações

Veículos deixados na rua serão sempre vítimas de vândalos e ladrões, sempre olhe se faltam itens como faróis, grades, limpadores, maçanetas e se não roubaram a bateria (capô forçado ou aberto).

 

Mancha escura na proximidade da tampa de combustível

Não sei precisar a causa do fenômeno, mas a grande maioria dos carros abandonados apresenta este tipo característico de mancha.

 

Interior sem bancos ou sem forração da lataria

Os bancos e forros quase sempre são retirados para serem vendidos. Também não podemos confundir a situação com a de carros que ainda transitam sem estes itens ou que aguardam reformas perto de oficinas. 

 

Rodas diferentes

Característicos dos veículos abandonados possuírem os jogos de rodas diferentes do original já que dependendo do modelo vale bastante dinheiro. Há casos de cada roda ser de um modelo diferente.

 

Onde achar o carro abandonado:

 

Oficinas mecânicas

Muitas oficinas pegam veículos (principalmente antigos) para serem “doadores de peças”, após a respectiva reforma estes ficam largados dentro do local, na frente ou em ruas próximas.

 

Vias locais

É difícil achar veículos abandonados em grandes avenidas ou ruas coletoras. É nas vias locais que se concentram perto das casas de antigos donos. Também influencia o fato de nestes locais haver uma falta de fiscalização mais rígida de órgãos de trânsito.

 

Garagens para mensalistas

As garagens com box de mensalistas muitas vezes abrigam antigos carros que acabam ficando inutilizados, o dono mantém suas vagas para talvez algum dia reformá-los. Acaba sendo uma opção razoavelmente vista por aí.

 

Áreas com população de baixa renda

Lugares aonde infelizmente o cidadão não tem condições financeiras para manter determinado veículo e acaba o abandonando em vilas ou comunidades mais carentes.

 

Depósitos de órgãos de controle de trânsito

Aonde ficam retidos veículos envolvidos em acidentes, delitos e recolhidos por causa de infrações. Alguns podem permanecer anos retidos sofrendo avarias do tempo sem nem ao menos irem a leilão.

 

Estabelecimentos desocupados ou abandonados

Exemplo de empresas que entram em falência e enquanto sua massa falida não é processada mantém veículos em galpões ou no próprio pátio.

 

Estacionamentos de órgãos públicos

Por causa da burocracia muitas repartições públicas não conseguem manter a manutenção adequada dos veículos fazendo com que estraguem sem um encaminhamento para restauração. Também existe o caso dos que renovam sua frota sem dar um devido fim aos antigos carros. Normalmente são encontrados em órgãos de segurança e ligados à agricultura.

 

Procure sempre a pé

A melhor maneira de localizar veículos abandonados é através de caminhas, somente com elas podemos ter certeza se algum carro está inutilizado. A caminhada é a melhor fórmula para encontrar abandonados em pátios e garagens e ajuda na tomada de fotografias.

 

Como fotografar o carro abandonado:

 

Tenha discrição

Fotografar carros abandonados é uma atividade que levanta muitas suspeitas dos transeuntes e moradores das proximidades. Muitos podem pensar em tratar-se de algum esquema de roubo de peças automotivas. Sendo assim recomendo para que a tomada de fotografias seja feita da maneira mais discreta possível. Para isto você deve conhecer a fundo seu equipamento (celular ou câmera).

            -Nunca caminhe grandes distâncias com o seu equipamento a mostra, priorize o transporte nos bolsos ou em mochilas. Retire seu material apenas perto do veículo.

            -Desabilite qualquer tipo de som do equipamento.

            -Deixe seu equipamento programado para inicialização no modo em que está acostumado a fotografar, fazendo com que não perca tempo navegando nos menus de seleção. 

            -Evite usar flash, acostume-se a ter o pulso firme e não tremer.

            -Posicione-se de uma maneira a abranger um ângulo que mostre uma visão geral do veículo (focalizando a frente ou a traseira com a lateral em um único quadro).

            -Fotografe apenas perto do veículo.

            -Tente sempre olhar a foto que tirou quando estiver caminhando.

            -Guarde seu equipamento imediatamente a tomada de fotografias.

 

Cuidados com a iluminação

Dependendo o período do dia o veículo pode estar coberto pela sombra de árvores ou de edificações, isto deixa a foto escura e com uma difícil obtenção de um nível satisfatório de qualidade. Tente calcular a maneira como o Sol ilumina o local e retorne em um horário em que fique melhor iluminado. Evite a insolação de períodos do meio dia e início da tarde que fazem as imagens saírem superexpostas causando o brilho excessivo e a não obtenção da cor original do carro.

 

Usar câmeras com zoom para carros em estacionamentos ou pátios


Sempre caminho com o celular que me quebra um baita galho, só que muitas vezes acho veículos que estão a uma grande distância e inacessíveis, nestes casos volto ao local com a câmera digital já que o telefone móvel tem pouca resolução e não possui zoom analógico. Sempre que for usar a aproximação da lente tenha cuidado para não entrar no zoom digital, este apenas distorce a sua imagem já que utiliza-se de processos de ampliação da foto. Deve-se ressaltar o problema que quanto mais zoom for usado maiores serão as chances da imagem sair tremida, por isso procure apoiar sua mão em grades ou com o cotovelo contra o peito para ter uma melhor firmeza.



O Fusca estava bem distante do portão de entrada da casa fazendo com que usasse a câmera digital com zoom analógico.

 

Priorize veículos antigos e clássicos

Quando achar um veículo considerado clássico tente fotografar o mais rápido possível, estes servem como doadores de peças e são sempre procurados por colecionadores, você pode achá-los em um dia e no outro dia não...

 

Arquivando e divulgando seu acervo

 

Ponha descrições nos nomes das imagens

Procure criar um padrão de nome para seus arquivos que contemple informações sobre a localização e a data de obtenção da fotografia. Estes dados são fundamentais para situar o veículo e para futuros “reencontros”.

 

Definição máxima

Sempre mantenha seus arquivos com a definição que as imagens foram originalmente tiradas (preferência para a câmera configurada no máximo de resolução). Em termos de arquivo nunca podemos comprimi-los já que isto significada perda de qualidade, ao menos que sua câmera tenha imagens satisfatórias em resoluções menores.

 

 Divulgando seus arquivos

Você pode muito bem fazer um blog mas existem outros que tratam sobre o assunto que vivem da contribuição de leitores. Eu particularmente prefiro esta opção que me dá a possibilidade de vislumbrar comentários de diversas pessoas diferentes. Participo do blog Carros Inúteis e o recomendo: http://carrosinuteis.wordpress.com/

 

Cuidado com alguns dados

Lembre-se antes de divulgar suas fotografias que está lidando com a propriedade privada, sendo assim recomendo que sempre censure as placas dos automóveis para evitar algum tipo de incomodação com os donos. Também evite divulgar o logradouro dos veículos, deixe que esta informação seja passada apenas para pessoas de sua confiança ou potenciais compradores. Esta atitude tem que infelizmente ser tomada já que muitas pessoas utilizam-se do anonimato da Internet para agir de má fé. A única informação que não pode ser subtraída é sobre a cidade.

 

 

Espero que tenham gostado e quem se aventurar neste mundo que ache várias preciosidades perdidas no esquecimento de nossas cidades. E lembrando que adotar um inútil custa um pouco de dinheiro mas é de uma gratificação única :)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Fusca em O Dorminhoco (Sleeper)

Assisti hoje este interessante filme do Woody Allen, nele o protagonista acorda no ano de 2173 após ser mantido congelado em uma capsula desde 1973. Não vou entrar a fundo na trama mas no meio da civilização futurista aparece um Fusca abandonado em uma caverna. Ligam ele a aparece a frase da legenda "Eles montavam essas coisas para durar, não?". Realmente o famoso Volkswagen era duro na queda! Uma singela homenagem nesta película.


quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Detalhe do Karmann-Ghia

O Karmann-Ghia é realmente um dos mais belos Volkswagen já produzido, aqui destaco a assinatura que aparece na traseira do modelo.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Olhos da Variant I


Eu particularmente adoro os primeiros modelos de Variant e TL, eles possuem essa frente que eu acho simplesmente uma gracinha!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Olho do Camaro


Detalhe do pisca e do farol. Estava no Encontro Hot Rod Porto Alegre de 03/10/2010. Modelo: Camaro Type LT

A Frente de um Camaro


Estava no Encontro Hot Rod Porto Alegre de 03/10/2010. Modelo: Camaro Type LT

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Gurgel Xavante na Carro do Povo


Essas propagandas de época são sempre maravilhosas, ali desenhado está mais um veículo brasileiro da Gurgel. Deveríamos sempre relembrar nossas antigas produções.

Retirado do Jornal Correio do Povo de 04/12/1977, p.56.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Imagens de Época: Fusca do meu Pai

Inaugurando mais uma nova tag dentro do blog. Aqui vou postar fotografias de épocas com alguns clássicos aparecendo, quem quiser pode enviar contribuições para jjapoa@hotmail.com. Aqui trago o primeiro carro que meu pai comprou 0km: Fusca 1300 de 1976. Ele falou que mesmo sendo novo teve que "trocar até as rodas dele".

domingo, 19 de setembro de 2010

Detalhes de Época: Velocímetros Horizontais

Durante as décadas de 60 e 70 alguns painéis possuiam o velocímetro disposto de maneira horizontal. Estranhezas a parte mas o estilo ficou marcado como de época para grandes carros como era o caso do Galaxie, aqui apresento um painel de Gordini.

sábado, 4 de setembro de 2010

Mais Pumas na Carro do povo

Sempre bom ver o detalhe dos veículos desenhados nas propagandas.

Retirado de Jornal Correio do Povo de 04 dez. 1977, p.72.

Lada Samara

Quando fui esta semana marcar minha prova prática de direção eu encontrei um carro que não tinha identificado de início. Quando cheguei perto vi que era um Lada Samara, não embrava de ter visto algum desses aqui pela cidade (Porto Alegre). Todos sabem que os automóveis da marca russa não são muito bons e dificilmente alguém mantém eles rodando. Bem, já que não conhecia o veículo eu dei uma pequena pesquisada na internet.

O Samara foi fabricado de 1984 até 2004 e na Rússia era chamado de Sputnik, no início teve a participação de engenheiros da Porsche no seu projeto. A versão que achei era hatch com motor 1.3, mas também existiam com 1.1 e 1.5 litros e quatro ou cinco portas. O carro sempre teve uma mecânica muito fraca que apresdentava problemas, eu fui no site da Lada e vi o modelo na capa, talvez ainda seja faricado por lá...



Aqui coloco duas propagandas dele que achei no Youtube:




Referência:

Lada Samara. Disponível em: http://en.wikipedia.org/wiki/Lada_Samara

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Propaganda do Bianco S

Um clássico esportivo brasileiro feito em fibra de vidro e com mecânica VW (motor 1600 da Brasilia) por Toni Bianco. Confesso que acho o modelo muito bonito.

Retirado do Jornal Correio do Povo de 04/12/1977, p.51.

Referência:

Bianco. Disponivel em: http://quatrorodas.abril.com.br/classicos/brasileiros/conteudo_138719.shtml

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Detalhes de Época: Os Sedans de 6 Lugares

Os antigos carros de passeio traziam bancos inteiriços na parte frontal do veículo, com isso possibilitava a presença de 6 tripulantes. Tudo isto era possível pois o câmbio não era no chão, mas sim na direção. Esta tedência durou até a época dos anos 80 aonde um ícone do estilo parou de ser produzido: o Ford Galaxie. Vale ressaltar que os bancos inteiriços eram fatores de riscos em acidentes laterais, já que todo o peso do assento era jogado contra as portas fazendo com que elas estouracem. Problema que não acontece em automóveis com os bancos separados.

Bancos de um Opala Comodoro:
Retirado de: http://img129.imageshack.us/img129/733/img1279ie8.jpg

Bancos de um Landau:
Retirado de: http://1.bp.blogspot.com/_irVSPiLJ14c/SCiXsmDY-jI/AAAAAAAAA3g/rNPnEcVfxss/s400/Fotos%2BLandau%2Binterior.jpg

Comercial mostrando o Opala com 6 pessoas:


Vídeo de um crash test feito com veículos da GM na década de 60. Indetifiquei alguns Impalas, notem como os carros com bancos inteiriços jogam todo o peso contra as portas e consequentemente abrindo-as.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Veraneio e a Ditadura

Alguns carros ficam na lembrança pelos bons momentos vividos, pelas inovações, ousadia ou pelas características de época, entretanto outros são lembrados de maneira negativa, neste caso encaixa-se a Chevrolet Veraneio. A grandalhona foi largamente usada pela polícia na época da ditadura militar e causava temores quando aproximava-se. Hoje estava aqui em Porto Alegre caminhando pela Avenida Ipiranga e encontrei um exemplar no estacionamento da Polícia Civil. Acabei tirando apenas uma foto do monstrengo preto (que o deixa com ares ainda mais malévolos) pelo visto está largada por aí, deve ter sido uma das que sobraram do auge do período de repreensão. Para quem quiser ver outra interessante referência do veículo que escute a música Veraneio Vascaína do Aborto Elétrico, vou transcrever a letra abaixo.

Veraneio Vascaína (Aborto Elétrico)


Composição: Renato Russo (não oficial)

Cuidado pessoal, aí vem vindo a veraneio
Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho
Com números do lado
Dentro, dois ou três tarados
Assassinos armados, uniformizados
Veraneio Vascaína vem dobrando a esquina

Porque pobre quando nasce com instinto assassino
Já sabe o que vai ser quando crescer desde menino
Ou ladrão pra matar, marginal pra roubar
Papai eu quero ser policial quando eu crescer

Cuidado pessoal, aí vem vindo a veraneio
Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho
Com números do lado
Dentro, dois ou três tarados
Assassinos armados, uniformizados
Veraneio Vascaína vem dobrando a esquina

Se eles vêm, como ensino
É melhor sair da frente
Tanto faz, ninguém se importa se você é inocente
Com uma arma na mão
Boto fogo no país
Não vai ter problema, eu sei
Vou estar do lado da lei

Cuidado pessoal, aí vem vindo a veraneio
Toda pintada de preto, branco, cinza e vermelho
Com números do lado dentro, dois ou três tarados
Assassinos armados, uniformizados
Veraneio Vascaína vem dobrando a esquina
Veraneio Vascaína vem dobrando a esquina
Veraneio Vascaína vem dobrando a esquina

Retirado de: http://letras.terra.com.br/renato-russo/1092683/

Referência:

Chevrolet Veraneio. Disponível em: http://quatrorodas.abril.com.br/classicos/brasileiros/conteudo_143487.shtml


Detalhes de Época: Bananinhas do Fusca

Com este post inauguro uma nova repartição aqui no blog: Detalhes de Época. Tal divisão é para abordar pequenos detalhes técnicos e estéticos que os carros clássicos tinham.
***
Antigamente o querido fusca (Volkswagen Sedan na época) tinha uma maneira inusitada de fazer as sinalizações de conversão. Equipado com uma espécie de seta que saia das laterais do veículo. O instrumento no Brasil era chamado de banana ou banananinha, deve-se frisar que este era muito frágil e dificilmente você encontrará um funcionando regularmente am algum besouro dos anos 50. Os modelos até o início de 1961 tinham o acessório e suas lanternas traseiras eram simples faróis de freio (não havia o indicador de ré).


Foto da bananinha retirada de :http://paixaoporfusca.blogspot.com/2008/07/as-famosas-bananinhas-dos-fuscas.html

A traseira do Fusca dos anos 50 só tinha a luz de freio.

Foto do Fusca 55 retirado de: http://radicalvolks.blogspot.com/2009/03/fusca-1955.html

Referência:

História. Disponível em: http://www.fuscaclube.com.br/historia.htm

domingo, 22 de agosto de 2010

Um Fusca para a Rainha das Piscinas

O famoso concurso de beleza gaúcho em 1972 iria presentear a Rainha das Piscinas com um belo Fusca.

Retirado do Jornal Correio do Povo de 03/12/1972, p.25.

sábado, 21 de agosto de 2010

Tiro Para Esconder a Brasília

Em um furo de reportagem a Revista Quatro Rodas quase se deu mal. Quando estavam na Estrada Velha de Santos no dia 3 de maio de 1973. Os repórteres estavam andando por ela quando viram um comboio formado por vários carros da Volkswagen, ali estavam duas Brasílias (já não tinha mais o nome de Mini-Variant). Ultrapassando os veículos chegaram aos protótipos e tiraram fotografias, neste instante duas Variants foram em seu encalço até fazerem parar. Nisto foram abordados pelos seguranças da empresa e um deu um tiro no pára-choque do Fuscão do pessoal da revista. Uma grande confusão começou e foi parar na delegacia, após tudo isso as imagens foram mantidas e publicadas na edição de maio.

Ao final podemos notar uma perseguição muito interessante, já que as Brasílias ainda não tinham sido lançadas e o Fuscão foi mais rápido que as pesadas Variants da segurança. Praticamente um roteiro de época.

Destaque feito na capa da edição:









Retirado da Revista Quatro Rodas de Maio de 1973, p.1,44-48.

Propaganda SP2

Bela imagem publicitária mostrando a traseira deste pequeno esportivo que marcou os anos 70.

Revista QuatroRodas de Maio de 1973, p.28.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Aí Vem o Fuscão!

O Fusca "econômico" de época era o de 1300 cc, já o chamado Fuscão aqui da propaganda tinha o motor de 1500 cc e modificações nos eixos e pneus.

Retirado do Jornal Correio do Povo de 21/12/1971, p.15.

Referência:

Propaganda de carro antigo: Fusca ou Fuscão?. Disponível em: http://www.noticiasautomotivas.com.br/propaganda-de-carro-antigo-fusca-ou-fuscao/

Brasília, a Mini Variant

A Revista Quatro Rodas na edição de março de 1972 apresentou com exclusividade imagens da chamada "Mini-Variant". Este veículo que futuramente teria o nome de Brasília faria muito sucess no Brasil. A idéia do automóvel era um opção compacta para os clientes Volkswagen a ponto de ser menor que um Fusca (17 cm a menos de largura). Todavia o modelo fotografado ainda era um versão diminuta da Variant, tanto que tinha os faróis dela. Vejamos a capa e algumas imagens da reportagem:




Retirado da Revista Quatro Rodas Março de 1972, p.1, 34-35.

Faça o Seu Fusca Voar!

A oficina Envenecar fazia modificações mecânicas no Fusca tornando-o em 1600, 1700, 1800 e até 1900 cc. Será que voava mesmo?

Retirado da Revista Quatro Rodas de Agosto de 1971, p.2.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ter Cortesia em 1960

Primeiramente devo apontar a maravilhosa idéia da Revista 4 Rodas em disponiblizar todo o seu acervo no formato on-line. Com isso temos acesso a preciosidades publicadas como a que vou apresentar. Em uma matéria intitulada "Cortesia em Sete Dias" (primeira edição da revista) foram abordadas algumas condutas erradas de motoristas no trânsito. A matéria é ilustrada com um antológico Volkswagen Sedan (que futuramente receberia o nome de Fusca pela população) e uma Kombi, os diálogos são muito bons e para nossos tempos chegam a ser cômicos.




Retiradas da Revista 4 Rodas de 08/1960, p. 63-64. Disponível em: http://quatrorodas.abril.com.br/acervodigital/